Interlive BR

O Mercado e a Sabedoria Coletiva

sabedoria

O Mercado e a Sabedoria Coletiva

Várias empresas perceberam que a sabedoria coletiva e o investimento em tecnologia da informação organizaram com sucesso grandes quantidades de dados de processos de negócios.

No entanto, esses mesmos investimentos não alcançaram o mesmo sucesso na geração de verdadeira inteligência para promover a inovação e criar um diferencial competitivo para a empresa.

Por algum tempo, projetos de mineração de dados e gestão do conhecimento proliferaram entre as organizações que buscam obter informações relevantes para ajudar a desenvolver estratégias e tomar decisões.

Sabedoria coletiva ou digital?

A inclusão digital, as novas tecnologias móveis e a popularidade crescente de aplicativos atualmente conhecidos como “redes sociais” permitem que um grande número de pessoas gere, compartilhe, promova, comente e avalie informações dentro e fora da empresa.

Para além da aplicação dos media e das redes sociais, este movimento de participação e colaboração é considerado um fenômeno de “sabedoria coletiva”.

Este não é um fenômeno novo.

sabedoria

A humanidade se desenvolveu apenas porque tem a capacidade de formar um grupo social, criando assim coletivamente um tipo de sabedoria que existe em nossa língua, escrita, cultura, doutrina compartilhada, livros e nas muitas redes com as quais estamos atualmente em contato. conectar.

Os erros da sabedoria coletiva

Filósofos, pensadores e pesquisadores estudaram o assunto da sabedoria coletiva.

O resumo desses trabalhos e experiências práticas nos levou a listar sete erros que as organizações cometem quando tentam obter algum valor da cooperação e da participação de indivíduos internos e externos.

Esses erros são:

1. Não define as expectativas da multidão ou dos grupos.

Este grupo é altamente valorizado por sua criatividade e capacidade de tomada de decisão.

A equipe de profissionais trabalhando em conjunto para a solução pode superar o conhecimento do especialista no assunto.

Um exemplo muito simples dessa melhoria na qualidade da informação do grupo relacionada aos indivíduos é o exercício de tentar adivinhar o peso de alguém.

Se fizermos a uma pessoa, e depois fizermos a mesma pergunta a cem pessoas, e depois calcularmos o valor médio estimado, obteremos um valor mais próximo do valor verdadeiro do que o valor médio, em vez do valor obtido a partir de uma única observação.

O coletivo fornece uma estimativa melhor.

2. Não há regulamentação clara sobre quem executará a ação coletiva.

Devemos definir se a atividade é realizada por um grupo livre ou gerenciada por uma hierarquia.

Uma organização é um exemplo de estrutura hierárquica dedicada a resolver problemas e produzir conhecimento.

Mesmo em uma empresa dirigida por um grande número de colaboradores, como é o caso da Wikipedia, os vários estágios do processo dependem da hierarquia de aprovação de um item para incluir ou excluir o item de sua base.

3. A forma de motivar as pessoas a cooperar não está definida.

Precisamos determinar as motivações que levam os indivíduos a fazer o que esperam.

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts descobriram que os participantes do empreendedorismo coletivo são motivados por dinheiro (motivação extrínseca) ou glória (motivação intrínseca) ou amor (motivação intrínseca e transcendente).

As análises de produtos e bases de análises da Amazon são estabelecidas por muitos colaboradores, que fazem isso para falar alegremente sobre os tópicos de que gostam e, ao mesmo tempo, para serem reconhecidos como a glória dos especialistas no assunto.

4. A forma de realizar a operação não está definida de acordo com a sabedoria coletiva.

Devemos definir como usaremos a inteligência coletiva.

Podemos usar estratégias como brainstorming, competição, cooperação, votação, estimativa e avaliação. Por exemplo, se quisermos criar um novo logotipo para uma empresa.

Uma estratégia é realizar uma competição, coletar muitas ideias e, em seguida, usar o poder da multidão para votar na melhor proposta.

Outra estratégia é permitir que as pessoas discutam e proponham alterações na logomarca apresentada, resultando em um resultado formado pela soma das contribuições.

5. Nenhuma estrutura ou infraestrutura para colaboração é fornecida.

Em outras palavras, tenha um sistema que possibilite a participação das pessoas.

Isso depende muito das diferenças entre os projetos, mas geralmente pode ser descrito como um ambiente ou plataforma colaborativa.

Murais, WIKI, intranet, fóruns, sistemas de votação são todos exemplos desses ambientes.

Um lugar onde as pessoas podem expressar seus pensamentos ou opiniões e debater as ideias dos outros.

6. Os indivíduos não são orientados e treinados para a colaboração.

As pessoas precisam ter conhecimento para participar e trabalhar juntas.

Quanto mais sofisticada e difícil for a plataforma disponível para isso, mais necessário será oferecer treinamento em seu uso.

Se as pessoas não conseguirem interagir por meio da plataforma de tecnologia, a construção coletiva será danificada.

7. Não se tem uma cultura de colaboração.

Precisamos criar e manter uma cultura coletiva.

A motivação é um dos elementos-chave, mas o processo deve analisar os valores e crenças da própria organização e abordar os aspectos mais operacionais e práticos.

Um acordo de participação e colaboração de participação pode ser celebrado entre os participantes e a organização.

Um equilíbrio entre competição e colaboração pode ser usado para iniciar a implementação em um grupo menor, como uma espécie de projeto piloto que pode servir como uma equipe “campeã” para a participação de outras pessoas.

A sabedoria coletiva atualmente

Empresas como Natura e Fiat já envolveram seus clientes e fornecedores em processos de inovação aberta que nada mais são do que tentativas de capturar a sabedoria coletiva dos grandes para ajudá-las a desenvolver novos produtos.

Se as empresas costumavam se limitar às pesquisas de opinião (também uma forma de sabedoria coletiva), hoje abrem as portas de seus processos de negócios para que outros stakeholders participem abertamente do desenvolvimento de novas estratégias.

Para ficar INTERligado com o mercado de negócios, fique atento aos nossos cursos e nosso Linkedin, Instagram e Facebook.

Gostou desse post? Então Compartilhe !

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Compartilhe
publicado
Categorizado como Carreira

Logística: o que é e sua importância.

logistica

Logística, o que é e sua importância para as empresas

Logística é um dos fatores para que os processos em empresas aconteçam da maneira organizada e planejada. É claro que muitos são os aspectos que devem ser considerados, mas logística é fundamental para diversos setores e por isso é dela que falaremos no texto de hoje.

 

logística

Sua importância a torna essencial para profissionais e empresas. Se você quer entender mais sobre este assunto, leia este texto até o final e aprenda mais sobre a logística e sua importância para as empresas.

O que é logística?

A palavra “logística” tem origem no idioma grego. Seu significado se relaciona ao raciocínio lógico e ao cálculo. Apesar de ser relacionada a transporte de mercadorias ou ao seu estoque, logística, na prática, é muito mais complexa.

Atualmente, esse conceito ampliou-se e relaciona-se a conhecimentos de áreas como engenharia, marketing, economia, recursos humanos, estatística e tecnologia.

Podemos dizer que ela abrange o planejamento e execução de transporte e armazenamento de matéria-prima e mercadorias.

Como a logística funciona?

Podemos dizer que com o passar do tempo a evolução do trabalho de logística, suas ações tornaram-se sinérgicas, não isoladas.

Desta maneira, para que essas ações sejam bem-sucedidas, é necessário pensar em elementos essenciais, como:

  • A eficiência da comunicação entre os membros de equipes;
  • Um plano bem fundamentado e controlado, para que os problemas possam ser controlados a tempo;
  • Como consequência dos dois primeiros elementos, temos o controle do processo, que é alcançado por uma boa gestão que leva a equipe a se comunicar bem e os problemas a serem controlados.

A gestão de logística e a cadeia de suprimentos

A globalização tornou as relações comerciais mais complexas. Diante disso, como dissemos anteriormente a logística integrada surgiu, uma vez que se faz necessária atualmente.

Nesse contexto, falamos em cadeia de suprimentos, ou supply chain, ou ainda cadeia de logística. 

A proposta de uma cadeia de suprimentos é abranger a logística de um produto ou serviço. Isso inclui a fabricação da matéria-prima até a sua entrega ao cliente final. Essa integração facilita a manutenção a qualidade dos procedimentos dessa cadeia.

Essa cadeia exige uma boa tomada de decisões estratégicas, operacionais e de planejamento. Isso abrange o que se relaciona ao estoque, às vendas, à distribuição e ao fluxo de informações.

Portanto, podemos afirmar que a logística é englobada pela cadeia de suprimentos. Ou seja, ela é uma das atividades da gestão dessa cadeia.

Logística e a tecnologia

Com o desenvolvimento tecnológico, softwares foram desenvolvidas para tornar a cadeia de suprimentos mais eficiente. Sendo assim, há maior controle de cada operação.

Por meio dos recursos que a tecnologia disponibiliza, é possível fazer uma análise de dados avançada. Além disso, esses dados podem ser armazenados de maneira mais segura, podendo ainda ser rastreados em tempo real por custos mais baixos.

Por fim, a automatização dos procedimentos permite ainda integração de plataformas, o que confirma maior controle e transparência para todo o processo.

Os tipos de gestão de logística

Apresentaremos agora 4 tipos de gestão de logística:

1. Suprimentos

A gestão da logística de suprimentos encarrega-se do gerenciamento e do planejamento para aquisição de materiais para o desenvolvimento da atividade empresarial, que abrange da entrada à entrega ao cliente final.

Os benefícios desse tipo de gestão de logística são o melhor armazenamento dos insumos e menor perda de materiais; a redução dos custos, resultado do melhor relacionamento com os fornecedores; a otimização dos recursos, devido à melhor estruturação de processos e diminuição de falhas e prejuízos ao longo de cada etapa; e o aumento da produtividade, uma vez que todos os setores trabalham de maneira integrada.

2. Distribuição

Na parte da logística de distribuição inclui ações relacionadas à definição e gerenciamento dos canais mais adequados para a venda de produtos e serviços.

Quando essa gestão se dá de maneira eficiente, pode-se observar a quantidade correta de mercadoria, o que impacta diretamente nos lucros de uma empresa.

Isso transforma as empresas de maneira que elas se tornam mais rentáveis. Considerando que atualmente os clientes estão mais exigentes quanto a agilidade e eficiência, uma boa gestão de distribuição é um grande diferencial.

3. Produção

Já a gestão de logística de produção está relacionada ao processo de produção e disponibilidade do produto para o mercado. Isso inclui o controle do fluxo de materiais, de sua armazenagem, o abastecimento de postos de trabalho e emissão da expedição do produto.

Além disso, por meio dela, é possível prever a demanda externa do mercado. Essa previsão permite que seja feito um planejamento de curto a longo prazo.

4. Logística Reversa

Podemos falar ainda da logística reversa que diz respeito ao destino adequado de uma mercadoria ou produto após a sua venda. A importância desse tema é tão grande que há uma lei que regulamenta a Política Nacional de Resíduos Sólidos e, obviamente, as empresas têm um papel fundamental no descarte adequados desses resíduos.

Dessa maneira, o cliente pode enviar de volta ao seu fabricante após o consumo para que a empresa faça o seu descarte. Isso é importante, pois sabemos que há materiais e produtos prejudiciais à natureza, por exemplo.

Devido a essa preocupação cada vez maior em nossa sociedade, o pós-consumo também precisa ser uma preocupação de empresas que fabricam esse tipo de produto, buscando a redução de resíduos e de seus impactos à saúde e ao meio ambiente.

Conclusão

Podemos comprovar, com as informações deste artigo, a importância da logística aplicada ao processo das empresas atualmente. Juntamente com os recursos tecnológicos, a gestão de equipes e da logística são diferenciais essenciais para um trabalho realizado com excelência no mercado atual.

Se em seu caminho profissional, a gestão tem se mostrado importante para uma boa execução das suas funções, conheça os cursos online oferecidos pela Interlive. Venha se qualificar e colocar em prática todo o conhecimento que disponibilizamos em nossa plataforma.

Fique conectado em nossas redes sociais, Instagram, LinkedIn, Facebook, para conhecer as novidades.

Gostou desse post? Então Compartilhe !

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Compartilhe
publicado
Categorizado como Carreira
Witi
Vou te ajudar a interligar
sua empresa ao novo
mercado de trabalho